AVALIAÇÃO EX POST ESCRITA E FILMADA DO PROJECTO DE DESENVOLVIMENTO DO PARQUE NACIONAL DO LIMPOPO

O Parque Nacional do Limpopo (PNL) é um dos maiores parques de Moçambique com os seus 11 230 km2 (7 vezes o tamanho de Londres) e faz parte, com o Kruger Parque na África do Sul (PNK) e o Parque de Gonarezhou no Zimbabwe, de um grande parque transfronteiriço. A sua criação reveste-se de um interesse ecológico particular dada a complementaridade das  situações entre o PNK, onde a fauna excedentária ameaça a sustentabilidade dos ecossistemas,  e o PNL onde as formações vegetais estão relativamente intactas, mas onde a fauna bravia  foi dizimada durante a guerra civil. A criação do Transfronteiriço do Grande Limpopo (GLTP)  e a supressão parcial da vedação na fronteira entre Moçambique e a África do Sul teve como  a intenção permitir que a fauna bravia se desloque livremente entre os dois parques. O PNL apresenta igualmente desafios importantes no que diz respeito ao desenvol – vimento económico. A presença de uma população importante (entre 20 e 30.000 pessoas)  dentro do parque coloca claramente o problema da conciliação entre o desenvolvimento  económico e a preservação. O plano de gestão do PNL considera que o sucesso a longo prazo  do PNL depende da construção de uma relação que seja benéfica simultaneamente para as  comunidades e para o ambiente, o que passa em particular pelo melhoramento das condições  socioeconómicas das populações. O PNL possui vantagens importantes em matéria de  desenvolvimento económico, uma vez que uma parte do milhão de visitantes do Parque Kruger  pode atravessar a fronteira para visitar o PNL.